NOTÍCIAS - COLUNAS

Leviathan and the Air-Pump | Transversal: International Journal for the Historiography of Science 18 (June) 2025

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1


A presente circular refere-se à chamada de artigos para a edição de junho de 2025 da Revista Internacional de Historiografia da Ciência.

_________________________________________________________________________________________________________

Leviathan and the Air-Pump


Após 40 anos: recepção, críticas e impactos

Em 1985, Steven Shapin e Simon Schaffer publicaram Leviatã e a Bomba de Ar, um livro que se tornou emblemático e não apenas para a história da ciência. Foi o último livro que escreveram com uma máquina de escrever e um manuscrito em papel (Shapin e Schaffer 2011). Esse trabalho foi produzido no mundo da máquina de escrever, em uma cultura acadêmica que expressava as habilidades e limitações de quem trabalhava com máquina de escrever e as ordens intelectuais e sociais que aquela tecnologia possibilitava. Era uma produção com um ritmo diferente, rodeada de um conjunto de objectos indispensáveis – hoje totalmente desnecessários e quase desconhecidos – para evitar erros tipográficos e corrigir o desleixo causado pela falta de jeito das mãos urgentes. Em suma, o Leviatã irrompeu nos meios acadêmicos como um ato de intervenção, buscando provocar mudanças significativas: "é um produto de seu tempo (...) é um documento histórico. É um momento de mudança de tradições acadêmicas, de mudança de configurações culturais e institucionais, de mudança de convenções, problemas e propósitos" (Shapin e Schaffer 2011, xiii). Antes de se tornar uma obra histórica canônica, configurou-se simultaneamente em promessa a ser cumprida e campo de controvérsias, promovendo reescritas, apropriações e discordâncias.

Diante disso, sugerimos algumas diretrizes para contribuições a este número especial. Uma dessas linhas visa revisar a recepção do trabalho, desde sua publicação e, especialmente, na década de 1990, em diferentes áreas de estudos da ciência. Casos paradigmáticos são a apropriação crítica de Bruno Latour em Nous n'avons jamais été modernes (1991); a reescrita e apropriações de Ian Hacking (1991; 2006; 2009) em sua filosofia da ciência; as críticas de Donna Haraway (1997) à teoria feminista; a reescrita da história de Boyle por Elizabeth Potter (2000), abordando as formas pelas quais o gênero estava em jogo na constituição da filosofia experimental; as contestações entre filosofia da ciência, história da ciência e estudos de ciência e tecnologia (Daston 2009; Dear e Jasanoff 2010) em torno de fronteiras disciplinares que envolviam o Leviatã e a Bomba de Ar como um dos protagonistas; e a valorização desse trabalho na trama da história da historiografia da ciência (Golinski, 1998). Esta linha também inclui as apropriações que historiadores de diferentes países fizeram do Leviatã para compreender as histórias das ciências locais, a revisão metodológica da historiografia da ciência e as apropriações mútuas da história e da história da ciência permeadas pelo sentido de história herética e mundana implícita no Leviatã.

Outro dos guias é direcionado às linhas de pesquisa que se abriram após sua publicação. Nesse sentido, os trabalhos historiográficos e sociológicos de Steven Shapin (Shapin 1994, 2010; Shapin e Schaffer 1985) foram fundamentais para a compreensão do papel indissociável do testemunho e da confiança na constituição e manutenção das ordens e saberes sociais. Eles constituem os antecedentes dos desenvolvimentos contemporâneos críticos da epistemologia social, principalmente a epistemologia do testemunho (Kusch 2002). Da mesma forma, a tese da produção conjunta da ordem social, da ordem natural e da ordem do conhecimento reúne um conjunto heterogêneo de abordagens no que Sheila Jasanoff (2004) chamou de "o co".

linguagens producionistas do conhecimento científico". Um dos eixos que atravessa esses estudos pode ser resumido na tese de Shapin e Schaffer: soluções para o problema do conhecimento são soluções para o problema da ordem social. Além disso, vale destacar o papel desempenhado pelo Leviatã em relação à centralidade que a natureza material da prática científica tem assumido nos estudos científicos atuais. A filosofia neomaterialista propõe uma compreensão performativa das práticas discursivo-materiais, desafiando a crença no poder das palavras para representar coisas pré-existentes (Barad 2007). Por fim, propomos uma reflexão sobre o valor do Leviatã para as realizações futuras da historiografia da ciência à luz dos temas centrais e das linhas de pesquisa que este texto agora canônico deixou como promessas a cumprir: a contingência da ciência e da história da ciência, a mundanidade da história da ciência, as controvérsias, os corpos da ciência, os espaços da ciência e a credibilidade na ciência, a falta de fronteiras para determinar o que é relevante ou não na investigação histórica da ciência, entre outros.

Esperamos receber contribuições que discutam todas as possibilidades acima e outros tópicos semelhantes sobre o Leviatã e a recepção, críticas e impactos da Bomba de Ar.

Referências

Daston, Lorena (2009). Estudos da Ciência e História da Ciência. Inquérito Crítico, 35:798– 813.

Querido, Pedro e Sheila Jasanoff (2010). Desmonte de Fronteiras nos Estudos de Ciência e Tecnologia. Ísis, 101:4, 759-774.

Hacking, Ian (1991). Fenômenos Artificiais. Revista Britânica de História da Ciência 24 (2): 235-241.

Hacking, Ian (2006). Véracité et raison. Cours au Collége de France.
http ://www.ianhacking.com/collegedefrance.html (Acesso em 10 de julho de 2023).

Hacking, Ian (2009). Razão Científica. Taiwan: Universidade Nacional de Taiwan.

Jasanoff, Sheila (2004). Estados de Conhecimento: A Coprodução da Ciência e da Ordem Social. Londres: Routledge.

Kusch, Martins. 2002. Conhecimento por Acordo: O Programa de Epistemologia Comunitária. Oxford: Oxford University Press.

Latour, Bruno (1991). Nous n'avons jamais été moderns. Essai d'anthropologie symétrique. Paris: Edições La Découverte.

Shapin, Steven e Simon Schaffer. (1985). O Leviatã e a Bomba de Ar: Hobbes, Boyle e a Vida Experimental. Princeton, NJ: Imprensa da Universidade de Princeton.

Shapin, Steven e Simon Schaffer (2011). Introdução à edição de 2011. Para o ar: Leviatã e a bomba de ar A Generation on. Em Shapin, S. e S. Schaffer, Leviatã e a bomba de ar: Hobbes, Boyle e a vida experimental. Princeton: Imprensa da Universidade de Princeton.

Detalhes da submissão:

Para serem consideradas para a edição de junho de 2025, as submissões devem ser recebidas até 15 de março de 2025, por meio da página da revista www.historiographyofscience.org .

As submissões iniciais podem ser feitas em um dos seguintes idiomas: inglês, francês, espanhol ou português e preparadas para revisão bianônima. Se aceitos, os autores devem traduzi-los para o inglês. A notificação de aceitação será enviada em 15 de abril de 2025.

Para mais informações sobre esta Chamada de Trabalhos, entre em contato:

María de los Ángeles Martini – Universidad de Buenos Aires/Universidad Nacional de Moreno, Buenos Aires, Argentina
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Para mais informações sobre esta Revista, entre em contato: Marina S. Duarte – Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Fábio R. Leite – Universidade Federal de São João del-Rei – UFSJ

Correio electrónico: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Transversal: Revista Internacional de Historiografia da Ciência 18 (junho) 2025

Mesa-redonda da ESOCITE na 76ª Reunião Anual da SBPC

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A 76ª Reunião Anual da SBPC acontecerá de forma híbrida – presencial e virtual – entre os dias 7 e 13 de julho, na UFPA, em Belém. As inscrições são abertas e gratuitas. Inscreva-se e participe! https://ra.sbpcnet.org.br/76RA/
 
ESOCITE.BR integrará a programação, com a mesa-redonda intitulada “Ciências Sociais e Mudança Climática: Como entender os problemas para efetivas pesquisas disciplinares?”, no dia 08 de julho de 2024, às 16 horas, pelo canal da ESOCITE.BR, link: https://www.youtube.com/watch?v=27o8qoA-p18
 
A mesa será coordenada pela vice-presidente da ESOCITE.BR, profa. Julia S. Guivant (UFSC), e contará com os seguintes palestrantes/debatedores: Marko Synésio Alves Monteiro (UNICAMP), Tiago Ribeiro Duarte (UnB), Myanna Lahsen (INPE) e
Luisa Schmidt (Univ.Lisboa).
 
Contamos com a participação de todas e todos!

Chamada de Artigos para a Revista da UFMG

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A presente circular refere-se à chamada de artigos para a Revista da UFMG.

_________________________________________________________________________________________________________

Revista da UFMG, tema Trabalho: território de experiências, transformações e crises contemporâneas: submissões até 31/08/2024
 
 
 

A Revista da UFMG está com chamada aberta para a submissão de comunicações científicas para o seu novo volume, número 31, de fluxo contínuo em 2024, sobre o tema Trabalho: território de experiências, transformações e crises contemporâneas. São aceitos, além de artigos, ensaios, resenhas e entrevistas, que serão avaliados previamente pela Comissão Editorial da Revista e posteriormente revisados por pares especialistas na temática.

O prazo de submissão termina no dia 31 de agosto de 2024.

As editoras convidadas Daisy Cunha, da Faculdade de Educação (Fae) da UFMG e Andrea Silveira, da Faculdade de Medicina da UFMG, explicam que nesta edição, a Revista da UFMG nos acena a refletir sobre as crises contemporâneas em suas muitas e diversas imbricações nas experiências do trabalho. Buscando alcançar uma abordagem epistêmica plural, mas com bastante engajamento em termos dos valores do bem comum e de valores emancipatórios, a chamada é organizada em quatro eixos analíticos:

– Fim do trabalho? Invisibilidades (re) produzindo desigualdades nas intersecções sócio-culturais
– Neoliberalismo, globalização e era digital: entrelaçamentos e reconfigurações do trabalho
– Fronteiras, interfaces, circulação de sentidos e significados em temporalidades e geometrias variáveis
– Trabalho: desafios epistemológicos e éticos-políticos.

A chamada completa pode ser acessada abaixo ou no portal de Periódicos da UFMG.

Revista da UFMG – Chamada Dossiê Temático – Volume 31

Os artigos devem obedecer às Normas de Publicação disponíveis no site da Revista UFMG, incluindo um mínimo de 17 e um máximo de 25 páginas, incluindo tabelas, mapas, gráficos e outras imagens e informações não textuais. Somente serão aceitos trabalhos inéditos no Brasil que abordem diferentes perspectivas dentro do tema proposto.

Chamada de textos - Revista Exilium

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A presente circular refere-se à chamada para publicação da Revista Exilium.

_________________________________________________________________________________________________________

Convocamos a comunidade acadêmica para envio de contribuições ao Número 9. Prazo: 30/07/2024

A Revista Exilium, revista acadêmica revisada por pares da Cátedra Edward Saïd de Estudos da Contemporaneidade da Universidade Federal de São Paulo recebe, em fluxo contínuo, artigos e ensaios originais, bem como outros tipos de textos e materiais diversos, de acordo com o seu editorial e o perfil das seções:
- "Varia" abrange uma variedade de textos, incluindo memórias, notas de leitura, crítica de arte e outros escritos sobre a cultura contemporânea e as relações entre o Oriente e o Ocidente;
- A seção "Literários" reúne uma gama de escritos criativos, desde ensaios até a transcrição poética, lançando um olhar estético sobre a crítica e a teoria e focando em questões contemporâneas e na interação artística e cultural Oriente/Ocidente.
- A "Crítica da Contemporaneidade" oferece ensaios dos campos das ciências e das humanidades que questionam os dilemas atuais a partir da análise das relações entre história, memória e formas contemporâneas de sociabilidade e pertencimento;
- "Oriente e Ocidente" apresenta ensaios que analisam a constituição histórica e cultural do Oriente e do Ocidente, comparando e contrastando o seu passado e presente cultural, histórico, científico e artístico.


Para submissões, pedimos para seguirem as normas de acordo a tabela de transliteração e o modelo de artigo disponíveis em “Diretrizes para Autores”: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/about/submissions

Aproveitamos a oportunidade para divulgar o volume mais recente da Revista, publicado no último dia 24 de junho: https://periodicos.unifesp.br/index.php/exilium/issue/view/980

Convidamos para conhecer nosso novo canal de divulgação das atividades da Revista Exilium e da Cátedra Edward Saïd de Estudos da Contemporaneidade: https://www.instagram.com/catedraedwardsaid/

Agradecemos.
Cátedra Edward Saïd de Estudos da Contemporaneidade da Universidade Federal de São Paulo

Lançamento do 11º Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Os discentes do Mestrado em Divulgação Científica e Cultural (MDCC) do Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo (LabJor/IEL), da Universidade Estadual de Campinas, comunicam acerca da abertura do edital da XI edição do Encontro de Divulgação de Ciência e Cultura (EDICC). As submissões de resumos começam no dia 17 de junho e vão até 12 de julho. Há espaços de apresentação de pesquisas, relatos de experiência e também exposição da Mostra Cultural.

Com o tema Decolonizar para Viver: cultura e ciência em perspectiva, o evento vai ser realizado do dia 22 a 25 de outubro, no Instituto de Ensino e Linguagem, e contará com quatro mesas-redondas, palestras, exposição de arte visual, exposição de curtas e sessões de comunicação oral nos formatos presencial e online transmitidas pelo Youtube, com a finalidade de tornar possível a participação de pessoas que não podem comparecer ao Encontro. Acesse o edital e confira os requisitos para participação. 

Para mais informações siga as redes sociais: 

Twitter:

https://x.com/ediccunicamp?t=3mtC8npVdD6QjTflgDg7Jw&s=08

Instagram:

https://www.instagram.com/ediccunicamp?utm_source=qr&igsh=MWJzZ2lnM3plc2J0Zg==

Facebook:

https://www.facebook.com/edicc.unicamp?mibextid=ZbWKwL

YouTube:

https://youtube.com/@ediccencontrodedivulgacaod9128?si=20gKaAo0oe235RMZ

Linkedin:

https://www.linkedin.com/in/edicc-unicamp-a1b965280?utm_source=share&utm_campaign=share_via&utm_content=profile&utm_medium=android_app

Site:

https://edicc2024.labjor.unicamp.br/

Nota de repúdio ao Projeto de Lei 1904/24, a “PL da gravidez infantil”

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A Associação Brasileira de Estudos Sociais da Ciências e das Tecnologias vem por meio desta nota se somar ao movimento “Criança não é mãe” que se opõe ao Projeto de Lei 1904/24, conhecido como “PL da gravidez infantil”. Este projeto equipara o aborto realizado após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio, mesmo nos casos em que o aborto é previsto na legislação brasileira, a saber:  risco de vida da gestante, estupro e feto anencéfalo.  

Os estudos feministas sobre ciências e tecnologias há muito se dedicam a problematizar criticamente as opressões, desigualdades e iniquidades que afetam a saúde e direitos sexuais e reprodutivos das mulheres. O “PL da gravidez infantil”, ao criminalizar mesmo casos de aborto previstos por lei, ignora as muitas barreiras já impostas ao acesso a esses serviços e que levam, especialmente meninas, a precisarem recorrer a interrupção da gestação tardiamente. Estas meninas  também são as mais impactadas com a Resolução do Conselho Federal de Medicina (CFM), suspensa temporariamente pelo STF, que impedia médicos de realizar abortos após as 22 semanas através da técnica de assitsolia fetal. Embora essa técnica seja recomendada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e baseada na melhor ciência disponível, o CFM determinava com a resolução que essas meninas passassem por um procedimento cirúrgico equivalente a uma cirurgia cesariana, impactando ainda mais sua saúde e seu futuro reprodutivo. Em um contexto em que cada vez mais países descriminalizaram o aborto, o Brasil retrocede ao encampar uma cruzada para impedir o acesso ao aborto legal. As frentes discursivas promovidas pelo o CFM e o “PL da gravidez infantil” estão transformando meninas que sofreram violência sexual em mães. Ao nos manifestarmos denunciando essas ações como violações dos direitos sexuais e reprodutivos de todas as mulheres repetimos: Criança não é mãe!




Chamada de Textos - Boletim CTS em foco - Vol.4 Nº2

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Boletim CTS, volume 4, número  2.
Dossiê: Subdesenvolvimento, tecnologia e revolução brasileira em Vieira Pinto.

Coordenador: Dauto João da Silveira  - Pós-Doutor em Tecnologia e Sociedade pela UTFPR.

Recebimento de artigos: Os artigos deverão ser enviados até 05 de agosto 2024 para o e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Confira as diretrizes para submissão: https://esocite.org.br/images/BOLETIM-CTS/PDF/Politica%20Editorial.CTS.em.foco.pdf
Esta edição do Boletim CTS em Foco visa reproduzir trabalhos sobre o tema: Dependência tecnológica e a emancipação nacional em Vieira Pinto.

O debate sobre Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) ganha uma notável expressão na América Latina, especialmente no fim do século XX. No Brasil, os trabalhos, em grande medida, giravam em torno das condições de emancipação nacional a partir dos avanços da ciência e tecnologia e os seus profundos reflexos na dinâmica de uma sociedade dependente e subdesenvolvida. Dessa forma, os primeiros trabalhos de CTS visavam compreender a natureza estrutural do país diante do evolver dos países avançados. 

Os estudos sobre ciência e tecnologia encontrou em Álvaro Vieira Pinto uma fecunda fonte de elaboração teórica sobre as sociedades subdesenvolvidas. Na perspectiva do pensamento crítico, o autor mostrou a indissociabilidade entre tecnologia e ciência e sociedade, em contextos de países periféricos marcados pela força do imperialismo. A sua importância, dentre outras coisas, se encontra na originalidade teórica e na crítica aos aportes ocidentais à serviço da legitimação da dependência científica e tecnológica. É digno de nota a contribuição do autor aos estudos que visavam a superação da epistemologia dominante. 

O presente Boletim CTS, para além das históricas contribuições recepcionará propostas de artigos que versem sobre a obra de Vieira Pinto, fundamentalmente as que abordem os nexos, relações e mediações entre CTS e a emancipação social. Aceitaremos trabalhos que tratem de conceitos e/ou interpretações por ele desenvolvidos, até as repercussões de seu pensamento sobre outros autores, bem como outras possíveis propostas. Serão aceitos trabalhos que mirem as experiências das massas trabalhadoras, suas manifestações culturais e seus contextos de lutas construídos historicamente. 

Lançamento Editorial: "A Ciência Peculiar de Joaquim Antonio Alves Ribeiro: Ceará - Harvard - Ceará"

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

 

Título: A Ciência Peculiar de Joaquim Antonio Alves Ribeiro: Ceará - Harvard - Ceará
Editora: Cancioneiro
Ano de publicação: 2024
Autor: Eduardo Henrique Barbosa de Vasconcelos
Número de páginas: 286

Site para aquisição do livro: https://alvesribeirocientista.com.br/

NOTA DA ESOCITE.BR EM APOIO À GREVE NAS INSTITUIÇÕES FEDERAIS DE ENSINO SUPERIOR

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias-ESOCITE.BR  vem a público declarar apoio à greve das Instituições Federais de Ensino Superior (IFES).

 Como uma Associação que agrega o campo de estudo sobre as implicações sociais da ciência e da tecnologia, suas agendas e políticas, manifestamos solidariedade aos trabalhadores e às trabalhadoras, cujos salários acumulam perdas expressivas na última década. Além disso, o orçamento das IFES está progressivamente sofrendo cortes que não condizem com um país e um governo que valorizem a educação pública, gratuita, de alta qualidade e uma produção consistente de ciência, tecnologia e inovação.

 O argumento do arcabouço fiscal, que propaga a ideia  de que não existem recursos para garantir as reposições salariais e a recomposição dos orçamentos das instituições, não se sustenta. Trata-se de uma política de austeridade afinada com interesses particulares e uma agenda econômica refratários à autonomia nacional e à produção de conhecimento realizada com as devidas estruturas físicas, condições de trabalho e estudo, políticas consistentes de financiamento do ensino, da pesquisa e da extensão, ampliação da diversidade e do acesso e garantia de permanência de estudantes e jovens pesquisadores/as. 

Em pauta também estão reivindicações importantes como a revogação de medidas autoritárias e antidemocráticas editadas nos governo anteriores e que persistem no governo atual, tais como o “Novo” Ensino Médio, a intervenção na autonomia de escolha de reitorias e a continuidade, na pauta do Congresso Nacional, de propostas de contrarreforma constitucional que visam o fim do regime estatutário no serviço público e o enfraquecimento das próprias políticas sociais.

Assim, a ESOCITE.BR considera que o movimento ultrapassa as legítimas reivindicações de recomposição salarial e se constitui como uma força social importante, de defesa das IFES e de fortalecimento de seu papel historicamente construído como espaços relevantes e indispensáveis da produção do conhecimento na realidade brasileira.

Nota de Solidariedade ao povo do Rio Grande do Sul

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias - ESOCITE.BR se solidariza com a população do Rio Grande do Sul e suas irreparáveis perdas com as enchentes de 2024. Mas não estamos frente a um evento isolado. Trata-se de uma amostra do que pode estar por vir, caso medidas urgentes não sejam tomadas para evitar as consequências trágicas das mudanças climáticas.

É com consternação que acompanhamos a lentidão do poder público local na mobilização das atitudes de prevenção e proteção necessárias para acolher e cuidar da população afetada. E é com estranhamento que ouvimos as autoridades se referirem a esses eventos a partir de uma lógica de guerra, com menções a "cenários de guerra" e "Plano Marshall". Se se tratasse de uma "guerra" contra o meio ambiente, parece evidente que já a teríamos perdido. É preciso mudar as metáforas e as linguagens para lidar com as mudanças climáticas: co-existimos neste que é o nosso e único planeta, com outras espécies. E não será insistindo em impor nossos modos coloniais, extrativistas e antropocêntricos de existência à força que os problemas que estamos enfrentando serão resolvidos.

Conclamamos as autoridades para que as reconstruções que vão suceder esse momento trágico da história do nosso país sejam orientadas pelas transformações sociais urgentes e inadiáveis, necessárias para uma sociedade mais resiliente frente às mudanças climáticas: a redução drástica das emissões de carbono; a busca de uma transição energética com matrizes limpas e a abolição do uso de combustíveis fósseis; o fim da ocupação urbana das matas ciliares, margens e encostas de rios; a interrupção imediata do desmatamento e o reflorestamento urgente do nosso território; o incentivo a uma agricultura sustentável e à economia justa. É preciso também pressionar os países do norte global e grandes poluidores para que reduzam suas emissões de CO2 e compensem os países que mais têm sofrido e poderão sofrer os efeitos das mudanças climáticas.

Assim como as endemias, epidemias e pandemias que temos enfrentado, esses eventos climáticos extremos estão intensificados por um modelo econômico autodestrutivo e pela inação de governos e projetos políticos. Particularmente no Rio Grande do Sul houve diversos problemas, como a falta de investimento em planos de prevenção frente a desastres ambientais e a flexibilização do Código Florestal Estadual. É urgente uma política de mitigação nacional acompanhada pela rápida recomposição das estruturas institucionais de pesquisa e formulação de políticas de ciência e tecnologia no campo ambiental, com a preparação do poder público para acolher a nossa população cada vez mais vítima da injustiça ambiental.

Se você pode e deseja contribuir, utilize os canais: 

Movimento dos Atingidos por Barragens - MAB
PIX (CNPJ): 73.316.457/0001-83
Banco do Brasil: 001 Associação Nacional dos Atingidos por Barragens (ANAB)
Agência: 1230-0
Conta Corrente: 118.806-2

Movimento dos Pequenos Agricultores - MPA

PIX: 33.654.419/0010-07
Banco do Brasil
Agência 1248 - 3
Conta corrente: 55450-2

Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra - MST

PIX: 09.352.141/0001-48
Banco: 350
Agência: 3001
Conta: 30253-8

Casa do Estudante da UFRGS - CEU
PIX: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.
(no nome de Wellington Porto)
[A CEU (Casa do Estudante da UFRGS) abriga estudantes que estão sem água potável. A maioria é do interior e não conta com rede de apoio em… | Instagram]

Campanha do Conselho Indigenista Missionário (CIMI) em parceria com a ARPINSUL e APIB
b75bbc9a 17b0 42c6 8246 b14391bc41bb

Seleção para mestrado e doutorado na Linha Informática e Sociedade (PESC/COPPE/UFRJ)

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Seleção para mestrado e doutorado na Linha Informática e Sociedade (PESC/COPPE/UFRJ)

A seleção para mestrado e doutorado para linha Informática e Sociedade, no Programa de Engenharia de Sistemas de Computação (PESC) da COPPE está aberta até o dia 06/05.
 
Veja as instruções no seguinte linkhttps://www.cos.ufrj.br/selecao/ (lá há outro link para acessar o sistema de inscrição)
 
Grandes áreas da Linha Informática e Sociedade:
Ciberespaço e novas sociabilidades
. Educação e Tecnologias da Informação e Comunicação (TICs)
. Gênero, relações étnico-raciais e TICs
. Histórias da informática
. Moedas sociais digitais e bancos comunitários
. Políticas de interesse público e TICs
. Softwares dedicados aos movimentos sociais e à economia solidária
. Um olhar sociotécnico sobre o software
>> Detalhes em https://is.cos.ufrj.br/areas-de-pesquisa/

RESULTADO DA CHAMADA PÚBLICA XI SIMPÓSIO NACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

A diretoria da ESOCITE.BR, reunida virtualmente no dia 19 de abril de 2024, analisou e aprovou, por unanimidade, a candidatura única submetida pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará (PPGSA - UFPA) para organizar e sediar o XI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade. Assim, vimos por meio deste comunicado informar todos os nossos associados e associadas que o XI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade será organizado pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Antropologia da Universidade Federal do Pará (PPGSA - UFPA) e acontecerá no segundo semestre de 2025, na Universidade Federal do Pará (UFPA).     

 

Brasília, 19 de abril de 2024  

Diretoria ESOCITE.Br    

Colóquio Diásporas Científicas e Colaborações Internacionais: Os Brasileiros no Exterior

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1



O evento sobre Diásporas Científicas e Colaborações Internacionaissobre Diásporas Científicas e Colaborações Internacionais acontecerá nos dias 18 e 19 de abril, de forma híbrida (presencial e online) na UERJ/RJ. A ênfase será em brasileiros vivendo atualmente no exterior e terá a participação tanto de especialistas no tema como de agências nacionais e internacionais de fomento à pesquisa e mobilidade acadêmica. 
 
Maiores informações sobre o evento podem ser encontradas no link: https://sephis.org/coloquio_diasporas_cientificas/

Chamada de Textos - Boletim CTS em foco - Vol.4 Nº1

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Boletim CTS, volume 4, número 1.

Dossiê Interdisciplinaridade e Saúde

Márcia Niituma Ogata (UFSCar)
Guilherme Nobre Lima do Nascimento (UFT)
Wilson José Alves Pedro (UFSCar)

Recebimento de artigos: Os artigos deverão ser enviados até 20 de maio de 2024 para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Confira as diretrizes para submissão: https://esocite.org.br/images/BOLETIM-CTS/PDF/Politica%20Editorial.CTS.em.foco.pdf

Esta edição do Boletim CTS em Foco, visa congregar e disseminar estudos  pesquisas, vivências e inquietações sobre o tema Interdisciplinaridade e Saúde.

Sendo o campo da Ciência, Tecnologia e Sociedade (CTS) um lócus privilegiado para refletir temas complexos e emergentes propicia revisitar as epistemologias interdisciplinares e suas interfaces com a saúde. A relevância de visibilidade no CTS e sua disseminação do tema, no âmbito do ensino, da pesquisa e da extensão universitária promove sua melhor compreensão, bem como dos nexos constituintes e que transcendam para um debate acadêmico e político.

Orientados pelas diretrizes editoriais do Boletim, o trio de organizadores desta edição busca contribuições da coletividade CTS a partir de seus cenários e práxis para que possamos socializar, refletir e dialogar com visão ampla, pluralista, ética e democrática e oxalá, ampliar os espaços de expressão de cientistas, pesquisadoras e pesquisadores, pós-graduandas e pós graduandos, bem como ativistas sociais com o espectro do CTS e Saúde.

Com ênfase na epistemologia da interdisciplinaridade, a expectativa é que as produções em temas de saúde apresentadas para esta publicação tenham aderência ao campo CTS potencializando a divulgação de pesquisas, estudos e reflexões, fortalecendo o canal de comunicação deste boletim entre a coletividade científica e com a público em geral. Destaca- se ainda o desejo que contribuições de “outras linguagens e saberes” culturais e artísticos possam compor esta edição e possibilitem ampliar o olhar sobre o tema.

Espera-se que para além dos temas consolidados Educação CTS e Saúde, Formação
Interdisciplinar em Saúde, Trabalho Interdisciplinar, Ciência, Tecnologia e Inovação em Saúde (dentre outros temas presentes no Sistema Único de Saúde. Mas também se espera temas “emergentes” a partir dos cenários sócio sanitários da pandemia de Covid 19, bem como o contexto nacional e internacional. Assim são bem vindos temas emergentes: da saúde e democracia, inclusão das diversidades e participação social, saberes dos povos originários, ativismos digitais na saúde, os enquadramentos discursivos e midiáticos em saúde às outras linguagens artísticas e culturais, considerando-se que são muito bem vindas as contribuições, na busca das nossas novas agendas CTS para as sociedades em transformação.

OGATA, Márcia Niituma ; PEDRO, Wilson José Alves (Org.). Diálogos CTS com Paulo
Freire
. 1. ed. Campina Grande/PB: EDUFPB, v. 1, 2021.

PEDRO, Wilson José Alves ; SOUSA, C. M. ; OGATA, Márcia N . Ciência, Tecnologia e
Sociedade. In: Daniel Mill. (Org.). Dicionário Crítico de Educação e Tecnologias e de Educação a Distância. 1ed. Campinas, v. 1, p. 98-101, 2018.

PEDRO, Wilson José Alves (Org.) OGATA , Márcia Niituma (Org.); COSTA, L.S.F. (Org.);
GRACIOSO, L. de S. (Org).. Novas agendas científicas para sociedades em
transformação
. 1. ed. Campinas (SP): Pontes Editores, v. 1, 2023.

NETmundial+10

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br) comunica que o registro de intenção para participar do NETmundial+10, evento evento de suma importância no campo da governança da internet, foi prorrogado até dia 22 de março. O formulário (https://netmundial.br/expression-of-interest) ficará disponível no site do evento até às 23h59 UTC (20h59, horário de Brasília).

O NETmundial+10, que será realizado nos dias 29 e 30 de abril de 2024, em São Paulo, é um encontro multissetorial com o objetivo de debater os desafios globais para a governança do mundo digital. Tal como na primeira edição, realizada em 2014, o evento irá receber importantes nomes da academia, da sociedade civil, do governo, de organizações intergovernamentais, do setor privado e da comunidade técnica, que virão de diferentes países para um debate de alto nível sobre o futuro da Internet. O NETmundial+10 também terá transmissão ao vivo pelos canais oficiais do evento. 

Todas as informações podem ser acessadas no site do evento: NETmundial+10 – Global challenges for the governance of the digital world

44º Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica - Edição 2024

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1


O CNPq comunica que estão abertas as inscrições para o 44º Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica - Edição 2024, até o dia 8 de março de 2024 (18h00 - horário de Brasília).

O Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica tem como objetivo premiar aqueles que, por suas atividades, tenham contribuído, significativamente, para a formação de uma cultura científica e por tornar a Ciência, a Tecnologia e a Inovação conhecidas da sociedade.

A categoria desta edição é "Instituição e Veículo de Comunicação".

A premiação consiste de:
a) Troféu e diploma para a instituição ou veículo de comunicação; e
b) passagem aérea e hospedagem, no caso de cerimônia presencial, para permitir que representante da instituição agraciada participe da 76ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorrerá em julho de 2024.

Todas as informações podem ser acessadas no site do Prêmio: www.premiojosereis.cnpq.br.

Seminário Internacional "Inovação sociotécnica na transformação do território"

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

O Seminário Internacional Inovação Sociotécnica na Transformação do Território, que acontecerá de 13 a 15 de março de 2024, no Auditório da COPPE/UFRJ (Sala 122, Bloco G – UFRJ Fundão – Rio de Janeiro), é organizado por docentes e laboratórios de pesquisa do Programa de Pós-graduação em Desenvolvimento Territorial e Políticas Públicas da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e do Programa de Pós-graduação em Planejamento Urbano e Regional da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e financiado com recursos da FAPERJ, CNPq e Capes.

O seminário busca avançar no diálogo sobre inovação e território, nas suas múltiplas escalas e nas distintas esferas da vida cotidiana, a partir das contribuições de pesquisadores dos campos do Planejamento Urbano e Regional, Geografia, Sociologia, e outros.

Consulte a programação completa nas imagens a seguir:

 


 

Confira o link: https://eventos.ufrj.br/evento/inovacao-sociotecnica-na-transformacao-do-territorio/

ESOCITE.LA - Chamada de resumos expandidos

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Está aberta a chamada para o envio de resumos para os Grupos de Trabalho da Esocite Latinoamerica. Consulte os grupos de trabalho e envie seu resumo até o dia 1 de março de 2024

Mais informações no site do evento: https://www.esocite2024.com.br/

 




Chamada Pública para candidaturas de instituições para organizar e sediar o XI ESOCITE.BR

conteudoimagem 1687614982 1 1 k 1

Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias (ESOCITE.BR)

XI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade

 

Chamada Pública

 

A presente chamada pública tem por objeto fomentar candidaturas de instituições para organizar e sediar o XI Simpósio Nacional de Ciência, Tecnologia e Sociedade, a realizar-se em outubro de 2025. As candidaturas devem preencher os seguintes pré-requisitos:

1- Dos proponentes:

Pelo menos um dos membros (proponentes) da comissão organizadora deverá ser sócio/sócia, com anuidade em dia, da Associação Brasileira de Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias (ESOCITE.BR).

 

2- Da comissão organizadora:

A comissão organizadora deverá ser indicada com pelo menos 3 (três) membros.

 

3- Da proposta:

A proposta deverá ser enviada para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. e ser composta por: uma carta da administração superior da instituição dos proponentes, comprometendo-se a sediar e apoiar o evento; um ‘pitch’ (vídeo amador sumário de 3 a 5 minutos, feito através de câmera ou celular) apresentando a proposta, a comissão organizadora e a infraestrutura da instituição.

Obs: O Simpósio deverá ocorrer obrigatoriamente no mês de outubro de 2025, nos dias que forem mais adequados à instituição organizadora

 

4- Do prazo:

A proposta deverá ser submetida entre os dias 15 de fevereiro a 28 de março de 2024.

 

5- Da avaliação e do resultado:

A avaliação das propostas será realizada pela diretoria da ESOCITE.BR e o resultado será publicado até 04 de abril de 2024, no site da Associação. 

 

Demais informações, entrar em contato pelo email Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

 

Brasília, 19 de fevereiro de 2024.

 

ChamadaPublica XISimposio

Chamada de Textos - Boletim CTS em foco - Vol.3 Nº4

Coordenação temática: Lorena Cândido Fleury (UFRGS) e Gabriela Marques Di Giulio (USP)
Coordenação geral: Adriano Premebida (TEMAS/UFRGS)

A presente circular refere-se à publicação de out./dez. 2023.

Recebimento de artigos: Os artigos deverão ser enviados até 04 de março de 2024 para o e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

Confira as diretrizes para submissão: https://esocite.org.br/images/BOLETIM-CTS/PDF/Politica%20Editorial.CTS.em.foco.pdf

As mudanças climáticas têm cada vez mais se imposto como um tema chave na vida política contemporânea, nas mais distintas esferas: da formulação de políticas públicas à proposição de agendas de pesquisa, das estratégias de planejamento de setores corporativos à experiência cotidiana, atravessada pelos sucessivos eventos climáticos extremos que durante o ano de 2023 atingiram de norte ao sul do Brasil. 

No âmbito internacional, recentemente o acordo final da Conferência do Clima das Nações Unidas, a COP 28, registrou pela primeira vez expressamente a necessidade de se colocar um fim à era dos combustíveis fósseis, mas de modo menos incisivo do que muitos esperavam, e ainda mantendo concessões à indústria de óleo e gás. Quais serão os reordenamentos na produção industrial e tecnológica em resposta à crise climática, e como tais medidas irão afetar a produção de conhecimento e de políticas públicas ainda são questões em aberto, a serem acompanhadas nos próximos anos.

Os Estudos Sociais das Ciências e das Tecnologias desde longa data têm sido um campo privilegiado de análises a respeito das transformações (ou ausência de transformações)
nas trajetórias tecnocientíficas (Callon, 1986); da participação política de componentes atmosféricos (Latour, 1994); e nos reordenamentos que as mudanças climáticas produzem nas formas estabelecidas de compreensão do lugar humano na natureza (Jasanoff, 2010). No cenário brasileiro, diferentes grupos de pesquisa têm se dedicado à análise das mudanças climáticas em suas diferentes implicações, enfatizando o lugar da ciência e da tecnologia em sua constituição como objeto de estudo. Nesse sentido, o presente boletim propõe-se a reunir contribuições de pesquisadoras e pesquisadores dos Estudos Sociais sobre Ciência e Tecnologia (ESCT)  sobre mudanças climáticas, visando discutir especialmente - mas não apenas - os seguintes temas:


a. adaptação e mitigação às mudanças climáticas;
b. mudanças climáticas e infraestruturas;
c. transições em curso (e.g.  energéticas, alimentar, de sustentabilidade);
d. interface ciência e política em torno das mudanças climáticas;
e. riscos, incertezas, controvérsias e crises;
f. enquadramentos discursivos e midiáticos sobre mudanças climáticas;
g. justiça climática;
h. coprodução de conhecimento e experiências transdisciplinares.

Consideramos que tais discussões irão qualificar o debate público a respeito das mudanças climáticas, valendo-se dos frutíferos rendimentos analíticos que os ESCT têm
a oferecer sobre essa temática.

CALLON, Michel. The sociology of an actor-network: The case of the electric vehicle. In: Mapping the dynamics of science and technology: Sociology of science in the real world. London: Palgrave Macmillan UK, p. 19-34,1986.

LATOUR, Bruno. Jamais fomos modernos. Editora 34, 1994.

JASANOFF, Sheila. A new climate for society. Theory, culture & society, v. 27, n. 2-3, p. 233-253, 2010.

CONTATOS

LOGO TRANSP

Fale conosco por meio dos contatos abaixo
ou envie-nos uma mensagem AQUI

E-mail: esocite.brasil@gmail.com

 facebook  facebook  facebook  facebook

DIRETORIA 2023 - 2025

Presidente:
Fabrício Neves (UNB/DF)
Vice-presidente:
Daniela Tonelli Manica (UNICAMP/SP)
Vice-presidente:
Julia S. Guivant (UFSC/SC)
 Secretária-geral:
Nilda Nazaré Pereira Oliveira (ITA/SP)
 1ª Secretário:
 Marko Monteiro (UNICAMP/SP)
 Tesoureiro:
Bráulio Silva Chaves (CEFET/MG)
 2ª Tesoureiro:
 Débora Allebrandt (UFAL/AL)